Candidatura da Ilha do Príncipe a Reserva Mundial da Biosfera da UNESCO

 

Príncipe Natureza Verde

Príncipe Natureza Verde

Príncipe, 10/04/2012 – A ilha do Príncipe poderá vir a ser a primeira Reserva Mundial da Biosfera em São Tomé Príncipe.

De acordo com os requisitos exigidos pela UNESCO, o organismo responsável pela atribuição do título, o Príncipe reúne as condições necessárias para ser classificada como tal, desde a sua população que tem vindo a desempenhar um papel relevante e a sua riqueza natural.

A população do Príncipe que sempre teve a terra como a fonte de riqueza, quer continuar a ser o principal autor de um desenvolvimento sustentável, olhando para a sua biodiversidade, a sua história, a sua cultura local e o património deixado pelos antepassados.

A Ilha tem uma superfície territorial de 142 quilômetros quadrados e cerca de sete mil habitantes.

A Reserva da Biosfera do Príncipe envolve toda a área do Parque Natural Obô, que corresponde a totalidade de 50% da ilha, o território marítimo da região e toda a orla costeira incluindo o Ilhéu Tinhosa e Boné de Jóquei.

As áreas classificadas ecossistemas pouco perturbadas são áreas reservadas para conservação, investigação e actividades compatíveis.

As áreas Tampão envolvem e protegem a área classificada, e designa-se para formação, educação e turismo.

Por outro lado, as áreas de Transição envolvem áreas que actuam como fronteiras, designadas para fomento de modelo de desenvolvimento sustentável.

O Parque Natural inclui toda a floresta densa da zona norte e sul da região, onde possui uma diversidade de habitates naturais, com destaque para mais de 27 espécies de plantas e cerca de 20 aves endemicas, como o merlo, o estroninho, o thibi fixa entre outras. A flora da região tem uma grande importância para a saúde do homem. Estudos já realizados mostram que existem algumas plantas próprias para o tratamento medicinal, como por exemplo, pau três, salaconta, flor pinicano e outras.

O Parque Natural Obô foi criado para dar a conhecer toda essa riqueza natural que a ilha tem  para ser explorado e utilizado da melhor maneira.

As principais actividades humanas desenvolvidas no Príncipe, estão ligadas a cultivo de terra, pesca artesanal, caça submarina, esculturas com produtos colhidos da terra, actividades essas maioritariamente realizadas ao longo das duas estacões do ano, a gravana e a chuva.

No Sul da região, destaca-se algumas comunidades como Nova Estrela, Terreiro Velho, Abade, onde o cultivo de terra é forte, com maior relevância para produção de cacau, banana, matabala, mandioca, pimenta, baunilha e algumas horticulturas que abastecem quase todo o mercado da região.

Ainda nesta zona o olhar fixa-se também na área da floresta nativa e densa do Parque Obô, vista do Miradouro ponto estratégico e de controlo para observar os navios e área marítima do lindo Boné de Joquei, um lugar ímpar, onde podem ser encontradas várias espécies de aves endémicas que só podem ser ali observadas.

No norte da região, a floresta luxuriante que cobre a maior parte do Parque Natural Obô, é sempre verde e preservada pelos habitantes. Esta região também é conhecida como o local onde se pode encontrar as praias paradisíacas da ilha, como a praia Banana, praia Boy, praia Macaco, praia Grande, esta última é uma das  maiores praia da região com cerca de 1400 metros, local  onde foi reservada para identificação e proteção  das tartarugas marinhas principalmente  a SADA que sobe para praia para desovar e depois ter os seus filhotes.

Existe ainda sítios importantes de marco histórico ao norte da ilha, como o Belo Monte, a Roça Sundy, local onde foi comprovado a teoria da relatividade. No dia 29 de Maio de 1919, durante o eclipse total do sol que durou mais de 5 minutos, o astrónomo inglês Arthur Eddington  comprovou na Roça Sundy a teoria da relatividade de Albert Einstein.

E outro sítio que encontra-se há pouco quilómetros dali, é Ponta do Sol, onde se pode observar o pôr do sol e no Miradouro Okê Daniel, também é um local que proporciona uma vista linda onde se pode ver a diversidade da flora e da fauna e contemplar todos os picos da região, como o Pico Papagaio localizado sensivelmente ao centro da ilha do Príncipe, próximo do Rio Papagaio e tem 680 metros acima do nível do mar.

Esta é uma área maciça e montanhosa, onde se concentra os outros picos da ilha, tais como o Pico Príncipe com mais de 900 metro de altura, o Pico João Dias Pai, João Dias Filho, Pico Agulha, Pico Mesa, todos eles com uma harmonia e sintonia que despertam atenção.

Ainda ao norte da ilha do Príncipe, encontra-se o ilhéu Bombom, um ponto turístico preparado para receber turistas que gostam de tranquilidade segurança, paz e procuram a natureza virgem.

A reserva mundial desta região autónoma, é tudo isso e muito mais, são os   miradouros, os recursos naturais,  as praias paradisíacas, os produtos locais,   a cultura local , recursos hídricos,  as aves,  o mar de paisagem de  cortar a respiração num ambiente desprovido de poluição, onde tudo é verde e preservado pelos habitantes.

Ainda com base nesta proposta, a ilha está a desenvolver, um Plano e Agenda do Desenvolvimento Sustentável, cujo o modelo de desenvolvimento basea-se na cadeia de valores da ilha e na relação com a natureza, turismo responsável e sustentável como instrumento de marketing territórial e construção de uma economia responsável, alicerçada nos valores e matriz do território visando a conservação da natureza e recurços naturais e reconhecimento do enorme património natrural que existe na ilha.

Portanto, é pôr em evidencia a natureza, o território fértil, o mar, a cultura local, o bem-estar e a simplicidade de vida dos principenses que confunde com a natureza que se reflete nas suas actividades diárias.

A classificação da Ilha do Príncipe como Reserva Mundial da Biosfera da Unesco, visa a conservação de toda essa diversidade biológica, das paisagens, das espécies e dos ecossistemas. Além disso, visa também a preservaçao das tradiçoes, a valorizaçao dos produtos locais e promover um desenvolvimento económico e social sustentável, onde o Príncipe passará a ser reconhecido internacionalmente com vantagens económicas quer para agricultura quer para turismo.

ILHA DO PRÍNCIPE, RESERVA MUNDIAL DA BIOSFERA DA UNESCO, PROPOSTA DE CANDIDATURA

Foto: Plácida Lopes
Texto: Plácida Lopes
Governo Regional do Príncipe – GRP
Assessoria de Comunicação Social
(239) 2251 013

Sobre Placida

Jornalista
Gallery | Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.

Uma resposta a Candidatura da Ilha do Príncipe a Reserva Mundial da Biosfera da UNESCO

  1. Minu yéé diz:

    Tudo muito bem feito e bem especificado.
    Mesmo eu ja sabendo gostaria de ver ali citado o nosso Papagaio, o representante das aves na parte da fauna.

    Obrigado

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s