Intensifica-se no Príncipe o ataque contra o paludismo nesta época chuvosa

Na vsita as comunidades, presidente Cassandra diz que é determinante intensificar o combate contra o paludismo no Príncipe

Nesta época chuvosa, o presidente Cassandra diz que é determinante intensificar o combate contra o paludismo no Príncipe

Príncipe, 25/05/2012 – Estamos na época chuvosa e no mês de Maio. O mês de chuvas constantes no Príncipe. Nesta época, o calor, a humidade aumentam os riscos de transmissão de doenças causadas por meio de mosquitos de todas as espécies. Principalmente o mosquito que transmite o paludismo.

Há mais de sete anos que na Região Autónoma do Príncipe (RAP) não morre alguém por causa do paludismo, uma doença infecciosa aguda causada por protozoários parasitas do gênero Plasmodium, transmitidos pela picada de mosquito do gênero Anopheles fêmea.

Entretanto, no quadro da pre-eliminação do paludismo no Príncipe,  a Delegação Regional de Saúde está  a levar a cabo uma ação de tratamento dos lagos, pântanos, charcos,  valas, águas paradas nos quintais, nos jardins e nas estradas com ojectivo de eliminar as larvas dos mosquitos.

Este é um trabalho que abrange toda a  ilha e comporta duas fases. Tratamentos temporários na época chuvosa e intensivo ou permanente na época seca, principalmente nas localidades de Abade, Praia das  Burras e Praia Seca, onde possui lagos e pântanos que não secam.

Dois  técnicos do Centro Nacional de Endemia estão no terreno a fazer tratamento de todos os lagos, pântanos, charcos, valas e sítios onde possui águas paradas na região. O produto utilizado denomina-se “Bitía”  e serve para matar as larvas dos mosquitos.

Agente do Centro de Endemia realiza tratamentos nos charcos  e pântanos para matar as larvas dos mosquitos

Agente do Centro de Endemia realiza tratamentos nos charcos e pântanos para matar as larvas dos mosquitos

Segundo  o técnico Jorge Lopes, logo após colocar o produto nos charcos ou pântanos,  20 minutos é o time suficiente para o produto agir e  matar todas as larvas dos mosquitos. Entretanto, Jorge Lopes apela colaboração da população na erradicão do paludismo. “Estamos a tratar os charcos, pântanos, lagos para evitar o paludismo, mas população também deve evitar acumulação de água nos  quintais, nos jardins, nas varandas das casas visto que os ovos dos mosquitos resistem nesta época do ano”, apelou.

O presidente do Governo Regional  do Príncipe (GRP), José  Cardoso Cassandra, preocupado com o paludismo, disse que é prioridade para o Governo Regional encontrar solução para os problemas de pântanos, charcos e acúmulo de água na região.

“Tendo em conta estes problemas, neste momento o que estamos a fazer é atacar com a distribuição de medicamentos nos charcos e pântanos, para evitar que as larvas dos mosquitos possam desenvolver.  A equipa está no terreno e fazer esse trabalho e a infraesturura  já tem orientação para desenvolver projecto para  resolver os problemas dos pântanos, charcos e  acúmulo de água que observa-se re região principalmente nas comunidades mais afectadas”.

Foto: Plácida Lopes
Texto:Plácida
Governo Regional do Príncipe – GRP
Assessoria de Comunicação Social
(239) 2251 013

Sobre Placida

Jornalista
Gallery | Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s